DA CÂMARA ESCURA À SELFIE, UM RETRATO DA EMOÇÃO. | AK Realty AK Realty DA CÂMARA ESCURA À SELFIE, UM RETRATO DA EMOÇÃO. | AK Realty

DA CÂMARA ESCURA À SELFIE, UM RETRATO DA EMOÇÃO.

AF_AKR_0001-15_Post_BLOG

Frutas. Objetos. Guerras. Paisagens. Nus. Tudo serve de modelo para o olhar clínico de um fotógrafo, para o registro que fica para a posteridade. A palavra fotografia vem do grego photo (luz) e graphein (marcar, desenhar, registrar). 8 de janeiro corresponde ao dia em que o daguerreótipo foi apresentado oficialmente no Brasil.

Embora o nascimento da fotografia seja a somatória do trabalho individual e conjunto de inúmeros cientistas ao longo de muitos anos, Daguerre e Niépce foram aqueles que melhor venderam a técnica de criação de imagens por meio de exposição luminosa, estampando-as em uma superfície sensível. As primeiras fotos eram todas PB. Os estudos iniciais com as cores não conseguiam fixá-las ou preservá-las por muito tempo. Pra se ter uma ideia, o primeiro filme colorido baseava-se em pontos tingidos de extrato de batata.

Mas os avanços vieram: o primeiro filme colorido moderno (Kodachrome) em 1935 e o primeiro filme colorido instantâneo (Polaroid) em 1963. A profissão evoluiu e se especializou, também, criando grandes fotógrafos de filmes, natureza, moda, documentários. Nosso Sebastião Salgado, mineiro aclamado e premiado mundialmente, notabilizou-se expressando a vida dos pobres e excluídos.

A era digital chegou e mudou radicalmente o mundo da fotografia, simplificando, barateando e popularizando algo que, até então, ainda era luxo e mistério para muita gente. A qualidade da imagem, a praticidade e o número de fotógrafos amadores multiplicaram-se. A integração dos recursos de informática, a internet, a incorporação de câmeras à telefonia móvel e aos tablets, tudo isso acabou transportando a fotografia para o cotidiano das pessoas, para uma experiência cada vez mais pessoal e mais compartilhada.

A despeito da democratização da imagem, do Instagram e das selfies, a razão de ser e existir da fotografia é imutável. Captar a emoção instantânea no clique perfeito, o gesto estático mais cheio de vida, conservando um momento para sempre na memória, no álbum, no HD. A gente, que não é profissional, consegue vez ou outra algo assim. Mas quem nasceu pra coisa tira tais fotos de olhos fechados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>